Dor Orofacial Dor Orofacial

Dor Orofacial




No tratamento da DOF é utilizado o laser para controle do processo inflamatório e o tens ( transcutaneous electrical nerve stimulation ) que age diretamente na reversão do processo da dor.

Paralisia facial

Como este serviço pode te ajudar?

  • A paralisia facial é um distúrbio ou uma paralisia total de todos, ou alguns, músculos da expressão facial. a paralisia facial pode ser classificada como central ou periférica.

  • paralisia facial periférica: bell (h.simples) pós traumas cirúrgicos

  • h.zoster ( sd. ramsay hunt ) tumores ( in y extrínsi central / congênita

Mas como isto me afeta?

Consiste na falta de movimentos e de expressões de um dos lados da face, assim como as alterações no modo de falar, e sobretudo a impossibilidade de se usar a mímica facial. além disso, a importância cada vez maior que a sociedade dos tempos atuais dá à estética relaciona-se diretamente com a aparência facial, pois a face é o "local" onde mais nos expomos ao meio e os seus traços marcam a nossa individualidade.

Dessa integridade dependem também funções fisiológicas muito importantes, tais como o lacrimejamento. uma vez que o nervo facial é responsável pela inervação motora do saco lacrimal e da pálpebra, podemos acarretar, com a perda de tais funções, uma úlcera de córnea e a conseqüente cegueira. o reflexo do músculo do estribo, inervado por seu ramo estapediano, é o responsável pela proteção da orelha interna contra os sons de alta intensidade. o nervo corda do tímpano, outro ramo do nervo facial, é o responsável pela sensibilidade gustativa dos dois terços anteriores da língua e pela inervação motora da glândula submandibular e glândulas salivares menores. a movimentação voluntária e o tônus da musculatura da boca reveste-se de extrema importância, quer na alimentação, quer na ingestão de líquidos, e a perda dessa função acarreta terríveis dificuldades ao processo alimentar. a essas funções, junta-se a sensibilidade táctil das regiões do pescoço, retroauricular e pavilhão auricular que são inervadas Sensitivamente por seu ramo cervical, importantes também na libido humana.

De acordo com a agressão sofrida pelo nervo, pode haver três categorias de lesões:

a) neuropraxia - nesta existe apenas um bloqueio fisiológico capaz de causar paralisia, porém não há degeneração walleriana. terminado o bloqueio observa-se regeneração completa dos axônios e nenhuma seqüela é observada.

b) axonotmese - neste tipo de lesão há comprometimento parcial dos axônios e bainhas de mielina, porém, o neurilema permanece contínuo e desta maneira poderá, ou não, haver regeneração da fibra nervosa. assim, há degeneração walleriana do axônio e a célula nervosa que corresponde ao axônio lesado poderá se recuperar, e produzir a regeneração do referido axô­nio, ou se degenerar. no local em que o nervo está lesa­do, partindo do segmento proximal, cada axônio se divide em múltiplos "brotos", os quais irão crescer no sentido do segmento distal, sempre na procura do axônio distal. nesta tentativa desordenada da procura do axônio distal poderá acontecer o que é chamado de regeneração cruzada, fato importante na explicação das seqüelas que podem surgir nas paralisias faciais.

c) neurotmese - a interrupção completa do nervo pode ocorrer sem possibilidade de regeneração. no ponto lesado, partindo da extremidade proximal dos axônios lesados, tem início o processo de tentativa de regeneração. neste ponto, os axônios multiplicam-se na busca de encontrar a porção distal e se agrupam formando o chamado neuroma de ponta. somente através da cirurgia e aproximação das extremidades, emprega-se o auto-enxerto, que poderá favorecer a regeneração dos axônios seccionados.
Fisioterapia

Sou Leila Araes e posso ajudar você.

Fiz especialização em fisioterapia com foco em terapia intensiva, criando um vínculo único em casos com pacientes críticos, durante o trabalho na UTI no Hospital Sírio Libanês pude perceber que 90% dos meus pacientes concentravam suas tensões na região superior, relatando dores nas articulações temporomandibulares, cervical e face, com isso me especializei neste tipo de trauma.
Meu principal objetivo é oferecer tratamento fisioterapêutico utilizando técnicas aprimoradas por mais de 12 anos, específicas para aliviar as dores na região da face, oral, cabeça e região cervical, além de restabelecer a função das articulações temporomandibulares, a função dos músculos mastigatórios e oferecer uma melhor qualidade de vida aos pacientes que sofrem dessas disfunções.
Também atuo nas disfunções temporomandibulares (DTM), nas dores orofaciais (DOF), incluindo cefaleias tensionais, bruxismo, pré e pós-operatório de cirurgias bucomaxilofaciais, pré e pós operatório de cirurgias da ATM, cirurgias decorrentes de trauma de face, dentes e cirurgias estéticas.



As duvidas mais frequentes

  • arrow_drop_down_circle 1 - Como a fisioterapia pode me ajudar?
    A fisioterapia dispõe de recursos para intervir com o objetivo principal de restabelecer a função e o trofismo muscular.
  • arrow_drop_down_circle 2 - A sessão é personalizada para o meu caso?
    A avaliação criteriosa destes pacientes é fundamental para a elaboração de um programa de tratamento a partir dos problemas e disfunções observados.
  • arrow_drop_down_circle 3 - Como o tratamento funciona?
    Na reabilitação é utilizada a massoterapia para a redução do edema (através de técnicas de drenagem linfática). a massagem endobucal também é recomendada com a finalidade de produzir o estiramento da musculatura intrabucal hipertônica. deve-se salientar a importância da correta aplicação da massagem, pois caso contrário, a mesma pode desencadear reações reflexas de defesa com piora das retrações musculares.

    Também é muito utilizado o laser, exercícios com hiperbolóide, mímica facial e tapping para o biofeedback.

Ficou com dúvidas ?

Agende uma Sessão

Envie uma mensagem

Horários de Funcionamento

Segunda
08:00 - 17:00
Terça
08:00 - 17:00
Quarta
08:00 - 17:00
Quinta
08:00 - 17:00
Sexta
08:00 - 17:00
Sábado
FECHADO
Domingo
FECHADO